Ele Está de Volta (2015)

  • Facebook
  • Twitter
  • Orkut
  • Delicious

wp-1468883349100

Baseado no livro de mesmo nome, do autor Timur Vermes, Ele Está de Volta (do original Er ist wieder da) é um filme alemão produzido pelo diretor David Wednt, lançado em outubro de 2015 (no Brasil em abril de 2016). A trama ficcional, sobre como seria a volta de Adolf Hitler nos dias atuais, tem nos papéis principais um elenco composto por atores como Oliver Masucci, Fabian Busch e Katja Riemann.

Nessa sátira, o enredo se inicia com o despertar de Hitler em 2015 sem memória do que aconteceu após a 2ª Guerra Mundial e, abismado com as mudanças na Alemanha, pauta seus objetivos na continuidade de planos supremacistas do Terceiro Reich. Assim, por conta de suas opiniões ácidas, acaba sendo confundido com um humorista politicamente incorreto que passa a ganhar adeptos na sociedade alemã e reconhecimento nos meios midiáticos. A partir disso, a narrativa torna-se ainda mais preocupante quando vemos cenas reais de alemães reproduzindo discursos preconceituosos pautados em um senso comum.

A principal problemática da película é justamente o esquecimento da História e do passado obscuro da Alemanha nazista que desencadeia na ascensão da extrema direita. E apesar de basear-se na realidade de um país, a crítica ao conservadorismo se faz necessária no contexto mundial, visto que os direitos de minorias vêm sendo ceifados por discursos de ódio e atitudes segregacionistas. Outra questão abordada é a xenofobia ou repulsa aos imigrantes, que implica na crise dos refugiados tão presente em notícias do nosso cotidiano, influenciada diretamente por representante políticos com ideais reacionários e nacionalistas.

Diante desse cenário, o papel dos historiadores é de suma importância para que o passado esteja sujeito a críticas e, consequentemente, as tragédias não sejam repetidas. Logo, é necessário um cuidado com os discursos públicos visto que estes exercem poder de influência na cultura de massa, tornando-se veículos de disseminação de ideologias. O filme é, então, uma boa ferramenta para o ensino de História ao abordar o desenvolvimento do conservadorismo e a legitimação das concepções políticas na sociedade.

No TweetBacks yet. (Be the first to Tweet this post)

Share and Enjoy

Esta entrada foi publicada em Filme da Semana e marcada com a tag , , , , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>