Negação (Denial)

  • Facebook
  • Twitter
  • Orkut
  • Delicious

denial-poster-600x901Produzido em 2016 e lançado no Brasil em março de 2017, o filme Negação (Denial) tem como diretor Mick Jackson e conta com um roteiro produzido pelo dramaturgo britânico David Hare. Com os gêneros drama, crime e biografia, a película, de nacionalidade norte-americana e britânica, tem seu elenco composto por atores como Rachel Weisz, Timothy Spall, Andrew Scott e Tom Wilkinson. O longa-metragem possui uma duração de 1h50min.

Baseada em fatos reais, a produção se dedica a contar a história do processo judicial movido pelo historiador britânico David Irving, um negacionista do Holocausto, contra a historiadora norte-americana Deborah Lipstadt, professora de Judaísmo Moderno e Estudos sobre o Holocausto na Universidade Emory, em Atlanta. Na ocasião, Irving alegou que Lipstadt havia lhe difamado ao acusa-lo de distorcer os fatos ocorridos contra os judeus na Alemanha Nazista. O caso ocorreu em Londres, entre os anos de 1996 e 2000, e Irving saiu derrotado.

Dentre alguns temas que podem ser levantados a partir do filme, o principal deles é o Negacionismo. Tratam-se de teses, formuladas principalmente nos Estados Unidos e na Alemanha, que buscam negar o Holocausto aos judeus nos campos de concentração nazistas durante a Segunda Guerra Mundial.

Motivados por racismo, posicionamentos políticos, antissemistismo e ligados a uma extrema direita, os negacionistas argumentam que: não houve genocídio e as câmaras de gás não existiram; as mortes do judeus foram ocasionadas por questões naturais, por timo ou em decorrência dos bombardeios dos aliados; o número de mortos, para a maioria dos negacionistas, não passariam de mais de duzentos mil; o genocídio é uma propaganda dos judeus e dos aliados.

A fim de legitimar seus discursos, os negacionistas utilizam-se do relativismo histórico e argumentam que os historiadores admitem trabalhar com múltiplas interpretações, sem que se possa considerar um delas dotada de verdade.  Além disso, as barreiras psicológicas e a dificuldade de algumas pessoas em acreditar no extermínio aos judeus contribuíram para a justificação destes argumentos.

Levando em consideração estas questões, Negação torna-se uma boa dica de filme para alunos e professores de História que queiram entender um pouco mais ou abordar a temática do Negacionismo ao Holocausto, e para pesquisadores da Segunda Guerra Mundial.

 

Referências:

UNITED States Holocaust Memorial Museum. Combate à Negação do Holocausto: Origens do “Negacionismo”. Disponível em: <https://www.ushmm.org/wlc/ptbr/article.php?ModuleId=10007273>. Acesso em: 17 ago. 2017.

Negacionismo e intolerância no final do século XX.  JESUS, Carlos Gustavo Nóbrega de. In: Anti-semitismo e nacionalismo, negacionismo e memória: Revisão Editora e as estratégias da intolerância, (1987-2003). São Paulo: Editora UNESP, 2006, p. 21-50.

 

No TweetBacks yet. (Be the first to Tweet this post)

Share and Enjoy

Esta entrada foi publicada em Filme da Semana e marcada com a tag , , , , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>