Na última sexta-feira, 30 de janeiro, o PET História realizou a Oficina Interna: “Perspectivas sobre a Disco Music”, ministrada pelo Prof. Dr. Luiz Eduardo Meneses de Oliveira, membro do corpo docente do departamento de Letras Estrangeiras da UFS. A oficina tinha por objetivo apresentar a influência da Disco Music tanto na música como no comportamento dos anos 70.

IMG_2229
Da esquerda para a direita: As PETianas Thaís Tenório e Franciele Amaral, a ouvinte Ellen dos Santos, os PETianos Thamyres Suélen, Ailton Rocha e Cassiano Celestino. O Professor Dr. Dilton Maynard, o PETiano Guilherme Borges, o professor Dr. Luiz Eduardo Meneses e a PETiana Keline Pereira

Inicialmente, o palestrante apresentou alguns conceitos acerca da Disco Music e da Cultura: Baseando-se em Stuart Hall para tratar sobre tal conceito, o professor nos apresentou esse estilo musical como sendo uma manifestação cultural que possui as suas particularidades e estilo próprio.

Por conseguinte, o ministrante abordou o modo como a circulação, recepção e apropriação da Disco Music provocou uma onda sem precedentes de americanismo no Brasil na década de 70, manifestados através das músicas nas telenovelas, como também em nome de bandas e cantores nacionais que usavam termos anglo-saxônicos e cantavam músicas em inglês.

Juntamente com esse fator, foi explanado que nesse período ocorreu a  quebra de muitos tabus e barreiras sócio-culturais, sobretudo étnicas e de gênero,  demonstrando a larga difusão da cultura black e o boom, dos movimentos e manifestações feministas e gays.

Após expor sobre esses temas, o ministrante explicou que a massificação da Disco Music no Brasil na década de 1970 foi um processo que, embora possa ser compreendido como uma imposição dos norte-americanos, cujo governo financiava a ditadura militar, também teve seu potencial transgressor.

Dadas essas considerações, o PET História agradece ao Prof. Dr. Luiz Eduardo Meneses de Oliveira por sua disponibilidade em tratar de um temática que enriqueceu o conhecimento dos participantes, e agradecemos também por sua colaboração em mais uma de nossas iniciativas.

No TweetBacks yet. (Be the first to Tweet this post)